domingo, 22 de novembro de 2009

VAMOS INDEXAR??!!!??



FICA AQUI O MEU CONVITE... SE AINDA NÃO AJUDA NESTE GRANDE TRABALHO, AINDA DA TEMPO DE COMEÇAR.
.
SEGUE ABAIXO 2 LINKS... UM COM INSTRUÇÕES DE CADASTRO... E O OUTRO É UM MANUAL BEM COMPLETO PARA AQUELES QUE TEM O INTERESSE DE COMERÇAR.


.
TODA PESSOA É IMPORTANTE. Talvez seja esse o sentimento que impele milhões a buscarem a própria história da família. Para a maioria, os registros dos antepassados fornecem ligações importantes com o passado. Um exército de voluntários em todo o mundo está ajudando agora a preservar e a colocar esses registros à disposição

Excelência das Mulheres

QUE ATIVIDADE MARAVILHOSA!!!
.

Iniciamos a atividade tendo a oportunidade ver ou rever a mensagem deixada na última conferêcia geral pela Presidente Geral da Sociedade de Socorro. Em seguida tivemos a oportunidade de sermos nutridas e incentivadas com algumas palavras ditas por nosso Pres. de Estaca, Pres. Parella.
.
Depois do banquete espiritual fomos nutridos com um delicioso risoto feito pelo casal Boccardo... Irmã Fernanda.... Estava DIVINOOO!!!
.
E a parte mais gostosa de tudo isso foi poder ver que o evangelho é um só... e que mesmo que sejamos separadas em ALA ainda assim, somos uma unica SOCIEDADE DE SOCORRO. Ver que todas trabalhamos muito durante o ano, não pra essa atividade em si, mas para nos ajudar a sermos melhores em nossos lares, em nosso trabalho, como membros da igreja de Cristo.
.
Sou feliz pela oportunidade que tenho de ser membro da Igreja de Jesus Cristo, por fazer parte desta inspirada sociedade e saber que sou importante.
.
Espero que essa idéia pegue... =)

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Oficina de Confecção de Guirlandas










Com o Natal chegando, começamos a arrumação da capela...
Com a base feita com jornal, montamos guirlandas para as portas da capela. Deram pouco trabalho, pouco gasto e o resultado foi otimo.




.

Reunião da Soc. Socorro - Mobiles

Aproveitando o nosso sabado... depois de um bom almoço ficamos na capela pra mais uma reunião da Sociedade de Socorro... E aprendemos a fazer este mobile. Este foi feito um pouquinho por cada irma que estava presente. Uma alinhavou, outra cortou o fuxico e assim foi...
.
A Lider de Aprimoramento nos orientou a respeito de como devemos fazer o corte do tecido. Em seguida começamos com o alinhavo feito com linha Camila branca, usamos um fio
duplo pra nao termos problema. O enchimento é feito de fibra desfiada. Depois de cheio fazemos as divisões da flor, e no centro colocamos a nossa flor de fuxico.
Aproveitamos a mesma linha pra prender o fuxico e o botao.
Com um fio de nylon colocamos as pedinhas que queremos .
Agora que ja aprendemos, a meta é decorar nossa sala com mobiles e fuxicos.
.
Se alguem tiver alguma idéia boa que queira compartilhar...
Eu gostaria de receber...!!!










Nosso Sabado!!!


Todo primeiro sabado do mês, nós da Sociedade de Socorro ficamos responsaveis pela limpeza e organização da capela... Nada melhor que um bom almoço depois do trabalho.
.
Meu agradecimento a todas as irmãs que ajudam nesse trabalho.
.
Muito Obrigada!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Reunião da Sociedade de Socorro








Na ultima quinta feira dia 29/10 as 18 horas na capela, tivemos mais uma Reunião da Sociedade de Socorro.
Nesta atividades aprendemos a fazer decoração em lata. Aprendemos duas técnicas: com guardanapo e com papel de decoupage.
A lider de aprimoramento foi quem nos ensinou. Tivemos várias dicas de como ganhar dinheiro fazendo este tipo de material e de como aproveitar as latas que antes eram apenas lixo.
.
Fica ai mais uma idéia de presente e decoraçao para nossas cozinhas... =)
.
Essas duas latas da foto sao minhas... a maior eu ganhei e a menor eu fiz... assim que eu pegar as fotos das outras que foram feitas na atividade postarei aqui!!!

sábado, 31 de outubro de 2009

Novidades nas Reuniões da Sociedade de Socorro


Diretrizes para a nova Reunião da Sociedade de Socorro



Durante a Reunião Geral da Sociedade de Socorro em 26 de setembro de 2009, a presidente Julie B. Beck anunciou informações para ajudar as líderes a focalizar mais nas metas eternas da Sociedade de Socorro ao invés de reuniões frívolas.


Como parte de alcançar esta meta, o nome Reunião/Atividade de Aprimoramento Pessoal, familiar e Doméstico mudou simplesmente para “Reunião da Sociedade de Socorro”. Ela encorajou as irmãs a não apenas freqüentar as reuniões de domingo, mas também a focalizar nos
propósitos reais da Sociedade de Socorro, que são:


Aumentar a fé e a retidão pessoal (FÉ)
Fortalecer famílias e lares (LAR)
Servir ao Senhor e a Seus filhos (SERVIÇO)


Adoro esta direção simples e clara: “As ênfases das reuniões da Sociedade de Socorro devem ser FÉ, LAR e SERVIÇO!”
Quaisquer reuniões realizadas durante a semana devem focalizar nestas três coisas. As reuniões devem ser realizadas pelo menos uma vez por mês, podendo ser mais freqüentemente com consideração especial aos compromissos com horário, distância percorrida, custo, situações
financeiras, segurança e outras circunstâncias das irmãs.


Estas reuniões serão supervisionadas pelas presidentes da Sociedade de Socorro em conselho com o Bispo ou Presidente de Ramo e terão a presença de, no mínimo, um membro da Presidência da Sociedade de Socorro. As irmãs não devem sentir-se obrigadas a freqüentar todas estas reuniões. Pelo menos uma reunião focalizará a história da Sociedade de Socorro e seu trabalho.

Ao planejar reuniões adicionais da Sociedade de Socorro, considerem usar a seguinte lista de tópicos como prioridades:


Serviço compassivo: cuidar dos doentes, idosos, sem teto, incapacitados,
pobres e necessitados; apoio para novas mães e bebês; auxílio
humanitário à comunidade; ajuda com funerais.

***
Educação e Alfabetização: estudo das escrituras e aprendizado do
evangelho, ensinar a ler, tutorar crianças e jovens, escolher literatura
infantil, usarem computadores e outras tecnologias, desenvolver noção
cultural.

***
Finanças: fazer orçamento, livrar-se das dívidas, qualificar-se para
emprego.

***
Saúde: saúde física, aptidão física, prevenção ao vício e recuperação,
saúde social e emocional, prevenção às doenças.

***
Economia Doméstica: aprender e aprimorar habilidades para o cuidado
do lar e da família, como limpar e organizar, embelezar o lar, cozinhar,
costurar, jardinagem, produção e preservação de alimentos,
armazenamento doméstico e estar prontos para emergências.

***
Casamento e família: preparar para o casamento e família, fortalecer o
casamento, aprimorar habilidades para criar os filhos, educação de
crianças pequenas, preparar os adolescentes para as responsabilidades
futuras, encorajar e preparar a reunião familiar e fortalecer o
relacionamento com os parentes.

***
Compartilhar o evangelho: esforços missionários dos membros, tornar-se
amigos dos membros novos e menos ativos, estender a mão à vizinhança,
ativação e retenção, boas-vindas às novas irmãs à Sociedade de Socorro,
preparar para missão de tempo integral.

***
Templo e história da família: como coletar e preservar informações da
história da família, escrever histórias da família, preparar para o templo,
fazer o trabalho do templo.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Lider de Solidariedade



LIDER DE SOLIDARIEDADE

· TRABALHA COM A PRESIDENTE E LIDER DAS PROFESSORAS VISITANTES.


· IDENTIFICA AS HABILIDADES E CIRCUNSTANCIAS DAS IRMAS QUE PODEM PRESTAR SERVIÇO


· IDENTIFICA AS IRMAS QUE TENHAM NECESSIDADES ESPECIAIS.

· COORDENA O TRABALHO PARA AJUDAR ESSAS IRMAS ( IDOSAS, SOLITARIAS, CONFINADAS AO LAR, MORADORAS DE ASILOS, DEFICIENTES)

· COORDENA ESFORÇOS PARA SE CORRESPONDER COM IRMAS QUE ESTAHAM FORA DA ALA EM VIAGEM OU MISSAO.

· AJUDA NA INTEGRACAO DAS RECEM CONVERSAS E VISITANTES, PARTICIPA DAS REUNIOES BATISMAIS.

· COORDENA TRAALHO DE ACOMPANHANTES PARA O TEMPLO.

· MANTEM REGISTO DE SERVIÇOS NÃO CONFIDENCIAIS, ONDE INCLUI O NOME DAS IRMAS QUE RECEBERAM AJUDA AS DATAS, O SERVIÇO PRESTADO E O TEMPO DISPENDIDO.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Visitas - Professoras Visitantes!!!


Nosso mês logo terminará, vamos visitar nossas ovelhas amigas, fazer nosso trabalho e receber nossas bençãos.
"Sem trabalho árduo nada cresce, exceto ervas daninhas.
Deve haver trabalho incessante e constante quando se almeja uma colheita."
Pres. Gordon B. Hinckley







Professoras Visitantes

Logo que fui chamada para a liderança da Socidade de Socorro, tive um treinamento na estaca a respeito de Professoras Visitantes. E naquela ocasião a presidente nos ensinou usando esses passos, ela tinha todos esses elementos num tamanho maior e a medida que ensinava, colava no quadro.
Adorei encontrar tudo isso resumido num marcador de páginas. Já vou providencias para as irmãs de minha ala... e fica aqui a idéia muito valida!.

REUNIAO DA SOCIEDADE DE SOCORRO




Dia 17/10 as 17 horas na capela tivemos mais uma atividade com as irmãs da Sociedade de Socorro aprendendo algo novo.




Nesta atividade a irmã Karine, que serve como Presidente da Primaria de nossa ala, foi a especialista que nos ensinou a dar um novo rumo para os jornais que temos em casa.


Com a ajuda dela, jornal, cola branca e pincel aprendemos a fazer apoio de panela. Um dos muitos que podemos inventar utilizando a mesma tecnica.


Foi uma oportunidade estarmos juntas e de reaproveitamento do jornal que muitas vezes tem como destimo o lixo.


Oramos para que as irmãs que nao puderam estar nesta reunião possam estar na proxima.


Terminamos esta atividade com um oração, fizemos um lanche e seguimos para nossas casas com o sentimento de termos aprendido uma coisa a mais.


Como dessa vida só levaremos o conhecimento, desejo que nessas reuniões possamos sempre encontrar muito conhecimento e experiencias.








terça-feira, 13 de outubro de 2009

Canção - COMO AS VIDAS MUDAM

Mãos Que Ajudam!!!


 PARABENS!!! Para todas as mamães que receberam uma benção dos céus, que são seus bebes. Contribuindo na grande obra de dar vida aos filhos do nosso Pai Celestial.
*
PARABENS!!! Muito especial para todas as irmãs, não só da minha ala ou estaca, mas de todo o Brasil. Parabens para nós, que todo o amor e carinho com que fizemos as mantas, casaquinhos, sapatinhos, cueiros os croches nas fraldinhas, que todo esse amor chegue ao coração das mães que receberam os kits. Desejo e oro para que nossos corações possam estar sempre cheios do sentimento que nos envolveu enquanto trabalhavamos para abençoar nosso próximo, que esse sentimento aqueça nossos corações sempre.

domingo, 20 de setembro de 2009

AULA 4 DOMINGO - A LIAHONA/MAIO 2009


Aprender as
Lições do Passado
ÉLDER M. RUSSELL BALLARD
Do Quórum dos Doze Apóstolos

"Aprender as lições do passado permite que vocês
desenvolvam um testemunho sobre o sólido alicerce
da obediência, da fé e do testemunho do Espírito."
A LIAHONA Maio de 2009.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Manta No Tear de Prego

Olha ai mais uma idéia... Eu aprendi a usar o tear de prego quando fazia parte do Ramo Tiradentes II, na zona leste de São Paulo, Estaca Itaquera....hummm que saudade...
Tinha uma irmã em minha antiga Ala que era talentosa demais com esse tear. Além de abençoar as mulheres da ala com seu dom ela usava esse talendo como fonte de renda.
Fazia mantas de bebes lindas... e lá eu soube que com tempo se organizaram e fizeram mantas para os kits de bebe do Mãos que Ajudam.
Outra idéia para usarmos para este momento de preparo dos Kits e também para ensinarmos em nossa Ala e compartilharmos nossos dons...
Eu já aprendi, agora estou pronta e anciosa para ensinar... =)

MÃOS QUE AJUDAM - KIT DE BEBE


Que maravilhosa oportunidades temos de aprender mais e ajudar quem precisa.
Este ano temos a designação de aprontar 10 kits de bebe que serão doados no dia 12/10 na maternidade Carmela Dutra, aqui na nossa linda Floripa.
Essa foto mostra alguns casaquinho que foram feitos e doados para os kits.
Estes casaquinhos foram feitos pelas irmãs da Sociedade de Socorro da ala.
Em uma visita de professora visitante, a irmã Luana viu um casaquinho neste modelo na casa da irmã Fátima. Como são prendadas essas duas irmãs. A irmã Luana se lembrando do modelo fez um casaquinho em casa que depois serviu de modelo para todos os demais.
Esses casaquinhos são bem simples e são feitos com a junção de dois hexágonos.
Fica aqui então uma idéia simples, fácil e barata para encrementar os kits de bebes. Para ajudar segue os links para os videos ensinando como fazer os casaquinhos.
Links - Video

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Receita com Busca de Escrituras

Bata 3/4 de Salmos 55:21

1/3 de Néfi 26:25

1 e 1/2 xícaras de Jeremias 6:20

3 xícaras de Isaias 10:14

Adicione 3 colheres de Cantares de Salomão 4:14

1 colher de D&C 101:39

1 colher de sopa de I Coríntios 5:6

2 xícaras de D&C 89:17

1 xícara de I Samuel 30:12

3 xícaras de I Reis 4:22


Modo de Preparo.

Mexendo sem parar até formar uma massa homogênea

Coloque colheradas na assadeira untada e leve ao forno em temperatura média por 30 minutos. Mas antes de assar leia D&C 133:11.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Armazenamento em bolsas de alumínio com saches de absorventes


Armazenamento em bolsas de alumínio com saches de absorventes de oxigênio


(máquina seladora)



Produtos a serem embalados a seco devem ter uma baixa umidade (10% de umidade ou menos), de boa qualidade, e livres de insetos. Embalagem em Sacos Laminados deve ser limitada a alimentos que melhor retém o sabor e valores nutritivos.




PRODUTOS APROVADOS:· Leite em pó desnatado e chocolate em pó· Farinha de Trigo Tradicional ou especial· Todos os grãos não moídos ou quebrados (farelo) ou que não tenham semente comcasca oleosa· Aveia em flocos Comum· Leguminosas Ervilhas secas, feijão, grão de bico, lentilha e soja· Massa que não contenha ovos· Frutas e vegetais Produtos desidratados ou congelados secos que sejam secos osuficiente para ser pressionado (Melhores itens, maças, bananas,batatas, cebolas, cenouras, milho, ervilhas, e outros como abricot,pêssego, pêras, tomates, feijão verdes)· Açúcar Granulado ou em pó· Miscelânea Vegetais de proteína texturizada, queijo ralado, gelatina.



PRODUTOS NÃO APROVADOS:Os seguintes itens são exemplos de produtos que não são aprovados para armazenamento em Sacos de Alumínio devido ao alto teor de umidade ou oleosidade que possuem. Estes itens, todavia, podem ser armazenados em freezer:· Grãos processados Farinha de trigo integral, Fubá, Cereais, Granola· Grãos/Sementes/Oleosas Nozes, Arroz integral, Cevada, Gergelim

Os seguintes tipos de produtos devem ser armazenados em suas embalagens originais e serem freqüentemente substituídos:· Fermentos Incluí misturas contendo fermento tais como as de bolos ebiscoitos variados.· Miscelânea Temperos, Óleos, Caldo de Carne, Ovos secos, Carne Seca, Açúcarmascavo, Açúcar cristalizado, Suprimento de primeiro socorros.


Salada de Soja


Ingredientes:-
2 xícaras (chá) de grãos de soja cozidos-
3 tomates sem sementes picados
1 pimentão verde picado-
1 pimentão vermelho picado -
2 cebolas médias picadas- Cheiro verde, sal, azeite de oliva e suco de limão (a gosto).

Modo de preparo:- Cozinhar os grãos conforme a receita básica. - Deixar esfriar e misturá-los com todo os ingredientes.- Levar à geladeira e servir quando estiver bem fria.

Pão de Resíduo de Soja


Ingredientes:
Fermento:- 3 colheres (sopa) de fermento de pão ou um pacotinho de fermento biológico- 3 colheres (sopa) de açúcar- 1 xícara (chá) de água morna

Massa:- 1/4 de xícara (chá) de óleo de soja- 3 colheres (sopa) de açúcar- 1 colher (sopa) rasa de sal- 2 xícaras (chá) de resíduo de soja- 5 xícaras (chá) de farinha de trigo Modo de preparo:Fermento:Em um recipiente (bacia), dissolver o fermento com água e adicionar os demais ingredientes. Cobrir com plástico e, deixar em repouso para crescer, por 15 minutos. Massa:Misturar ao fermento o resíduo, o açúcar e o óleo. Adicionar aos poucos, a farinha de trigo, trabalhando a massa até que os ingredientes se unam e a massa se desprenda dos dedos. Moldar os pães no formato desejado, dispor em formas untadas e polvilhadas com farinha de trigo, deixar crescer por uma hora e, assar por 30 minutos em forno pré-aquecido.

************************************************************************************

Leite de Soja


LEITE DE SOJA

Ingredientes:-

3 xícaras (chá) de grãos de soja escolhidos e sem lavar

4,5 litros de água-

1 colher (chá) de sal-

6 colheres (sopa) de açúcar


Modo de preparo:-

Ferver um litro e meio de água.- Colocar os grãos e contar cinco minutos a partir da nova fervura.- Escorrer a água e lavar os grãos em água corrente.- Colocar o restante da água (3 litros) para ferver, cozinhar os grãos por cinco minutos. Não descartar a água.- Quando estiver morno, bater os grãos e a água no liquidificador por três minutos.- Cozinhar a massa obtida em uma panela aberta por 10 minutos, reduzindo a chama após a fervura, mexendo sempre.- Quando estiver morno, coar em pano de algodão limpo e espremer bem, com o auxílio das mãos, através do pano.- O líquido filtrado é o extrato de soja (leite) e a massa restante, o resíduo ou "okara".- Levar o extrato novamente ao fogo e ferver por dois minutos.- Adicionar o açúcar e o sal ao extrato.Para obter sabores diferentes basta acrescentar chocolate em pó, canela, baunilha, etc.


************************************************************************************

Desjejum da Sociedade de Socorro

No dia 05/09 tivemos a oportunidade de estarmos juntas novamente, para nos conhecermos mais e cumprir com nossas obrigações dentro da igreja.
As irmãs Silvana e Edite organizaram uma atividade, fizemos um bom desjejum e depois mãos ao trabalho!!!
Tivemos a oportunidade de limpar a nossa capela de uma forma bem alegre e rápida.

Agradeço todas as irmãs que ajudaram com a organização de desjejum e com todas que participaram da nossa limpeza...

Mas essa foi a primeira de muitas outras que iremos realizar... nosso sábado a partir de agora será um dia especial para nós!!!

Presença: Edite, Silvana, Juliane, Daniela, Luana, Alice, Carla, Ruth, Vanny, Adriana, Ivonilde, Paola, Vangie, Rosani, Isabel, Elisa, Joaquina, 2 Conselheiro da ala, Bispo e o rapaz Thiago.

Professoras Visitantes



Apenas um texto que exemplifica maneiras como as vezes nos comportamos em relação a esse chamado tão importante. Foi compartilhado na Ala Rio Grande da Serra como treinamento dado pela Priscila, 2a cons.


Algumas Professoras Visitantes gostam de contar para as outras tudo o que fazem em seu chamado. Acreditam que suas visitas são uma oportunidade para passear. Conversam, lancham e consideram que este é um programa que o Senhor criou para saciar a fome física das mulheres. Elas trocam o alimento espiritual pelo físico. Não compreendem que desta forma elas esmagam o crescimento do Reino de Deus. O testemunho e a paz que poderiam ser transmitidos pelas mensagens inspiradas são deixadas de lado. Um testemunho forte e consistente que poderia ser desenvolvido é substituido. Ao "esmagarem" suas responsabilidades, estas professoras visitantes são conhecidas como "BATATA AMASSADA"


Há outras Professoras Visitantes que gostam de ouvir os problemas das irmãs e espalhá-los pela Ala. A irmã visitada que confia em suas Professoras Visitantes, acredita que pode depositar-lhes confiança abrindo seu coração. Pobre irmã, não imagina no caldeirão que entrou... Suas Professoras Visitantes são conhecidas como "BATATA QUENTE"


Algumas Professoras Visitantes para demonstrar que estão dispostas a ajudar a carregar o fardo das suas irmãs, prometem-lhes estender a mão em qualquer dificuldade. Porém tal apoio não passa de promessa, pois sempre que uma precisa delas, desculpam-se por não terem tempo para ajudar, mas garantem que numa próxima vez estarão lá. Estas Professoras Visitantes enganosamente acreditam que a caridade deve ser muito bem guardada. Pobre irmã, sua Professora Visitante é uma " BATATA EM CONSERVA".


Há outras Professoras Visitantes que não entendem que o interesse e preocupação que elas tem pelas irmãs, não podem se confundir com mexericos. Na frente, elas são um pessoa, por trás, outra. Muitas vezes durante suas visitas falam o que elas pensam dos líderes ou das outras irmãs da Sociedade de Socorro,pondo lenha na fogueira, pensando que dessa forma estarão ajudando. As coitadas não percebem seus atos, despedaçam o testemunho da irmã. Estas Professoras Visitantes são conhecidas como "BATATA PALITO".


Porém há algumas PROFESSORAS VISITANTES que entendem a magnitude de seu chamado. Se esforçam para levar tempero e sabor á vida de cada irmã. Quando se encontram famintas, as Professoras Visitantes estão lá para fartar-lhes a alma. Se precisam delas, prontamente estão para servir no que for preciso. Suas mãos, ouvidos e corações estão ao alcance de suas ovelhas. São verdadeiras "atalaias na torre". Ah, quem dera eu fosse esta PROFESSORA VISITANTE, que recheia a alma de cada irmã com amor, paz e caridade.Sabem como essas Professoras Visitantes são chamadas ? " BATATA RECHEADA"

domingo, 5 de julho de 2009

Bem Estar - Autossuficiëncia

BEM ESTAR
Prover para si e sua família
Os membros da Igreja são responsáveis por seu bem estar espiritual e temporal. Abençoados com o dom do livre arbítrio, eles tem o privilégio de estabelecer o próprio rumo, resolver os problemas e esforçar-se para se tornar autossuficientes. Os membros fazem isso sob a inspiração do Senhor e com o próprio trabalho.


ELEMENTOS DA AUTOSSUFICIENCIA - Autossuficiência é a capacidade, compromisso e esforço de suprir as necessidades vitais de nos mesmos e a de nossa família. Quando os membros são autossuficientes, eles também estão mais capacitados a cuidar dos outros.
Quando os membros da Igreja estão fazendo tudo o que podem para prover por si mesmos mas ainda assim não conseguem satisfazer suas necessidades básicas, devem primeiramente recorrer a sua família em busca de ajuda. Quando isso não for suficiente a igreja estará pronta para ajudar.
1 – INSTRUÇAO E A CAPACIDADE DE LER E ESCREVER - A instrução pode aprimorar, enobrecer e proporcionar entendimento que conduzem a uma vida mais feliz. Os membros devem estudar as escrituras e outros bons livros; melhorar a capacidade de ler, escrever e entender a matemática básica; conseguir instrução formal, ou treinamento equivalente necessário para conseguir um emprego.
2 – SAUDE FISICA - O Senhor ordenou que os membros mantivessem saudáveis o corpo e a mente. Eles devem obedecer a palavra de sabedoria, comer alimentos nutritivos, exercitar-se regularmente e ter um sono adequado. Devem banir substancias ou praticas que abusem do corpo ou da mente e que causem dependência. Devem manter o lar e os arredores limpa os e higiênicos e providenciar cuidados médicos e odontológicos adequados. Devem também esforçar-se para desenvolver bons relacionamentos com as pessoas da família e com os outros.
3 – EMPREGO - O trabalho é a base sobe a qual repousam a autossuficiência e o bem estar temporal. Os membros devem preparar-se e selecionar uma ocupação conveniente ou trabalho por conta própria que vai prover suas próprias necessidades e as de sua família. Eles devem tronar-se qualificados em seu trabalho, ser diligentes e dignos de confiança e prestar serviço honesto pelo pagamento e benefícios que recebe.
4 – ARMAZENAMENTO DOMESTICO - Para ajudar a cuidar de si mesmos e de seus familiares, os membros devem:
- preparar um armazenamento de 3 meses de alimentos que façam parte de suas hábitos alimentares.
- armazenar água para beber em caso de haver contaminação ou falta de abastecimento.
- fazer gradualmente um armazenamento de alimentos para o sustento da família.
5 – FINANÇAS - Para tornarem-se autossuficientes financeiramente, os membros devem:
- pagar dízimos e ofertas
- evitar dividas desnecessárias
- preparar um orçamento e viver dentro dele
- fazer gradualmente uma poupança
- ensinar os princípios de administração financeira aos membros da família.
6 – FORÇA ESPIRITUAL - A espiritualidade é essencial para o bem estar temporal e eterno de uma pessoa. Os membros da igreja devem exercer fé no Pai Celestial e em Jesus Cristo, obedecer os mandamentos de Deus, orar diariamente, estudar as escrituras e os ensinamentos dos profetas modernos, assistir `as reuniões da igreja e servir nos chamados e designações da igreja.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Aprimoramento e Bem Estar - Macarrão Caseiro

Dia 25/06/2009, as 19 horas na capela dos ingleses,

Atividade: Treinamento de Bem Estar e Aprimoramento. Foi nos ensinado a fazer massas caseiras e fomos instruídas nos cuidados necessários caso quiséssemos comercializar.

Descrição da AtividadeA Irmã Vany Parrela engrandeceu nosso testemunho a respeito da auto-suficiência, contou uma experiência pessoal com relação ao armazenamento, em especial, de água e como em um momento de falta de água pode se manter com tranqüilidade e ainda ajudar vizinhos mais próximos.
Em seguida aprendemos a fazer a massa caseira, utilizamos apenas ovo, farinha de trigo e sal. Aprendemos a abrir a massa como rolo de macarrão, em seguida fizemos dois tipos de macarrão, talharim e capeletti de frango.
Fizemos uma sopa de Capeletti e com o frango um molho para o talharim.
Propósito Espiritual: Fazer com que as irmãs aprendam a fazer uma boa refeição utilizando pouco material, foi ensinado que isso pode ser uma fonte de renda extra. Tratamos dos temas emprego, auto-suficiência e aproveitamento de alimentos. “ Vivendo retamente, evitando dividas, sendo econômicos e tendo vontade de trabalhar, os membros da igreja poderão aumentar a segurança através de armazenamento e produção domésticos”.

Presentes: Daniela Carnevale, Elisangela Pereira, Iraci Luciano, Elaine Andrade, Vany Parrela, Maira Regina, Miriam Loeser, Marcia Leivas, Paola Oliveira, Luana Silva, Elenilda Santana.

Aprimoramento - Chaveiro ScrapBook



Dia 18/04/2009, às 16 horas na capela dos ingleses, juntas novamente para aprender, ensinar, compartilhar, conhecermos mais umas as outras, descobrir novas técnicas e adquirir habilidades diferenciadas.

Como sempre as reuniões de aprimoramento nos trazem a companhia do espírito, a satisfação de nos aproximarmos mais do Salvador por meio do apoio as atividades de uma organização criada por ele, pó saber que estamos cumprindo o mandamento de auto-suficiência quando buscamos ser melhores em conhecimento que no dia anterior. Quão feliz sou por tudo que aprendo.

Atividade: Aprendemos a fazer um chaveiro scrapbook

Descrição da AtividadeA Líder de Aprimoramento, irmã Iraci Luciano recebeu de presente de uma de suas filhas um chaveiro scrapbook. Daí veio à idéia de aprendermos a fazer este chaveiro e se quiséssemos poderíamos presentear nossas mães também. Foram necessários plásticos para documentos (individuais), miçangas, fitas, cola, papel colorido, argola de chaveiro e fotos.
Começamos fazendo os fundos onde depois colaríamos as fotos de nossa família. Em seguida organizamos nos plásticos e fizemos um furo pra poder passar a fita. Essa fita é o que prende todos os plásticos, montando assim o chaveiro. Por esta fita passamos as miçangas e fazemos o acabamento do chaveiro.



Propósito Espiritual: Lembrarmos-nos de nossa família sempre, dos convênios e promessas que temos de um dia voltarmos todos juntos a presença de Deus ... D&C 132:15-20

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Treinamento de Bem Estar - I (Soja)




Dia 23/04/2009, as 19 horas na capela dos ingleses, tivemos a oportunidade de passar mais um tempo juntas como amigas e irmãs da sociedade de socorro.

Além de aprender muito com toda a instução a respeito deste rico alimento, produzido com tanta abundancia em nosso pais, tivemos a oportunidade de reforçar-mos nossos laços de amizade, desfrutarmos da companhia do espirito e termos conosco a presença do sacerdócio. Que benção poder ter tanto ao mesmo tempo, banquete de alegria, de aprendizado, de conforto espiritual e da companhia do Senhor.

Atividade: Treinamento de Bem Estar I (soja). Foi ensinado os beneficios da soja; receitas de: pão, pate, cocada, hamburguer, salada, sevada, farinha e leite tudo de soja.

Descrição da Atividade
Neste treinamento, nos foi ensinado a respeito dos beneficios da soja e algumas receitas. A irmã Iraci juntamente com a irmã Naura, cuidaram de nos orientar no preparo de delicias utilizando o grão, o residuo, o leite e até mesmo a farinha feita de soja.
Todos os alimentos que aprendemos a preparar neste dia foram feitos a partir do grão.
Com a soja inteira, aprendemos a fazer uam salada maravilhosa, um belo acompanhamento. Uma dica bastante útil é utilizar a soja no feijão, conzinhando os dois grão juntos a soja se mistura ai feijão. Ainda com o grão cru, aprendemos que podemos fazer o leite de soja e com o residuo fazemos pães, hamburgueres de soja e cocada c/ soja. Com o grão seco no forno, batido no liquidificador e peneirado temos uma farinha de soja e quando torramos o grão e betamos tendo o mesmo processo anterior conseguimos uma sevada, sevada de soja.
Ainda com o residuo que sobra do preparo do leite, foi feito um paté com requeijão para comer junto com o pão.
Neste dia todas as receitas foram praticamente de soja pura. Não fizemos a utilização de carne de nenhum tipo. A intenção era mostrar as diversas coisas que podemos fazer com a utilização de um unico grão.


Propósito Espiritual: Instruir as irmãs no manejo deste novo alimento auxiliando assim no preparo de uma boa alimentação, focando sempre a saúde fisica e a palavra de sabadoria. Ensinar que a soja bem como as coisas que aprendemos podem fazer parte de nosso armazenamento. "Todos os agrãos são indicados para uso do homem e dos animais, para ser o esteio da vida, não só para o homem, mas também para os animais do campo e as aves do céu e todos os animais selvagens que correm ou rastejam na terra." (Doutrina e Convênios Seção 89:14)


Presentes: Daniela Carnevale, Elisangela Pereira, Iraci Luciano, Naura Brites, Elaine Andrade, Adriana Parrela, Márcia Leivas e Critina (visitante do RS) - Primeiro Cons. no bispado da Ala, irmão Aires Luciano, Segundo Cons. no bispado da Ala, irmão Helio Pieirini e Segundo Cons. no Quorum de Elderes, irmão Luis.




sábado, 14 de março de 2009

Uma visita eficaz

ANTES DE SAIR PARA A VISITA
  1. Ore com sua companheira, pedindo orientaçao ao Pai Celestial
  2. Examine a ficha da família, a ultima avaliação e as metas dessa familia.
  3. Estude com sua companheira as necessidades da familia e como ajudar em suas metas.
  4. Prepare uma breve mensagem ( de preferencia de acordo com as necessidades da familia)
  5. Programe o tempo da visita, segundo as necessidades da irma e do Espirito.
  6. Não faça visitas tarde da noite ou em horários impróprios.
  7. Envolva sua companheira na visita, dando-lhes a oportunidade de servir.
  8. Não faça de suas visitas um meio de ganhar a vida, ou seja, não tente vender ou fazer negócios neste horário.

DURANTE A VISITA

  1. Observe a receptividade da irmã. Se não a receberem voltem outro dia.
  2. Não desista ao se defrontar com barreiras (converse com o Senhor).
  3. Convide todos os membros da familia a ouvirem a mensagem.
  4. Ore com a familia.
  5. Verifique o numero de membros da familia e datas importantes: aniversários, data de casamento, etc...
  6. Procure conquistar a amizade da familia - convide-o a participar de atividades de sua familia.
  7. Tenha uma conversa informal.
  8. Não fale somente do Evangelho, fale também sobre passatempos.
  9. Sejasm prestimosas, vejam as necessidades e ofereçam seus serviços.
  10. Preste-lhes seu testemunho sobre Jesus Cristo e sobre as bençãos do cumprimento dos mandamentos.
  11. Incentive-as a assistirem as Reuniões da Igreja, e a fazerem as reuniões familiares.

DEPOIS DA VISITA

  1. Avalie com sua companheira as visitas.
  2. Assuntos confidenciais leve diretamente a Presidente da Sociedade de Socorro, ou ao bispo.
  3. Apresente as avaliações a sua lider de Professora Visitante

SEMPRE

  1. Lembre-se dos aniversários.
  2. Se a familia mudou tente descobrir novo endereço.
  3. Faça suas visitas no inicio do mês.
  4. Demonstre amor pela familia.
  5. Tenha o objetivo de servir.
  6. Avalie os resultados.
  7. Ganhe bençãos.

Canção das Professoras Visitantes

Professoras visitantes desempenham seu dever
Orientando a todo membro ao melhor que pode ser
E com o sacerdócio exercendo seu poder
Unidas pela fé.
Refrão
Todas somos abençoadas
porque fomos escolhidas
para trabalhar unidas
por nosso salvador
E a todas as pessoas damos algo a fazer
Cada membro tem um cargo cada uma o seu dever
Os conversos integrados quão felizes hão de ser
Unidos pela fé
Professoras visitantes nos vigiam com amor
Pois trazem a mensagem a palavra do Senhor
Nos guaradam e nos cuidam e o fazem com amor
Unidas pela fé.
(A melodia da canção corresponde ao hino - 180-Já Refulge a Gloria Eterna)

segunda-feira, 9 de março de 2009

Aniversariantes do Trimestre

Depois do aprimoramento tivemos nossa comemoração das aniversáriantes do trimestre. Pena nao estar todas as aniversáriantes, mas desde já desejamos muitas felicidades a todas...



Da esquerda : Alice, Vania, Isabel, Jo, Rosani, Juliane, Vanessa, Elisa, Dida, Daniela, Levita, Paola, a frente Iraci e o pequeno Joao Vitor.

Armazenamento com gelo seco

Na capela dos Ingleses, dia 07/03/2009 as 16 horas, aprendemos a armazenar grãos com gelo seco em garrafas pets.
Jo, Rosani, Elisa e Juliane Todo mundo junto!!!

Adriana, Levita e Olavo


Dida e Iraci
Somos orientadas enquanto mulheres, maes e esposas a nos organizar-mos, cuidar-mos de nosso lar e do bem estar de nossa familia. Como uma sociedade de mulheres, a sociedade de socorro tem tambem a designaçao de prestar socorro aos necessitados, ser solidaria com os que procuram ajuda e trabalhar pelo bem estar de todas as familias de nossa ala e comunidade.
O viver previdente, a pratica do armazenamento faz com que tenhamos não somente uma reserva de alimentos para o nosso bem estar fisico, mas fortalece nosso testemundo, nos proporciona a oportunidade de novas experiências, de sentir que o programa de bem estar é um programa organizado a maneira do senhor.
As adversidades não avisam quando vão chegar e o Senhor espera que estejamos preparadas, prontas para socorrer nossa familia e as familia despreparadas. Oremos para que o Senhor nos ajude em nossas dificuldades e nos ajude a sermos pessoas melhores, cumpridoras de sua vontade. Que possamos nos lembrar de que tudo que fazemos na igreja, fazemos sob a orientaçao do sacerdócio, sob a orientaçao do Senhor. Cumpramos o pouco que nos pede, que possamos dar nosso melhor nos pedidos mais faceis para estarmos preparadas para quando o Senhor requerer o muito de nós.
Sei que a Sociedade de Socorro é o lugar onde as rainhas do senhor são instruidas e preparadas.
Como foi dito em um discurso na ala hoje: "Não existe quem não saiba nada que nao tenha o que ensinar e nem quem já saiba muito que não tenha mais o que aprender".
Compartilhamos nossos dons e buscamos a excelência diariamente.

sábado, 7 de março de 2009

“Brilha, Meiga Luz”

Irmã Virginia U. Jensen
Primeira Conselheira na Presidência Geral da Sociedade de Socorro



A Liahona Janeiro de 2001

“A luz de Jesus Cristo é mais forte do que qualquer escuridão que
enfrentamos na vida, se tivermos fé Nele, formos à Sua procura e
O obedecermos.”


Quando tinha apenas dez anos de idade, Joshua Dennis passou cinco dias na mais absoluta escuridão dentro de uma mina abandonada. Quando as pessoas que o resgataram finalmente ouviram seu grito abafado de socorro e o retiraram da terrível escuridão, ele estava desorientado, com frio e exausto. Para a surpresa de todos, ele não estava com medo. Josh passou o tempo dormindo, gritando por socorro e orando. “Alguém estava-me protegendo”, disse ele. “Eu sabia que seria encontrado.”
A fé simples mas profunda que Joshua tinha havia sido incentivada pelos pais que ensinaram que ele era filho de um Pai Celestial que saberia sempre onde ele estava. Ensinaram que ele havia nascido com a Luz de Cristo. Joshua havia realmente sido criado em luz e verdade (ver D&C 93:40); por isso, ao achar-se no fundo de uma mina a 610 metros da superfície, apegou-se a essa luz para que tivesse força, consolo, coragem
e esperança. Josh experimentou aquilo que Abinádi ensinou ao falar de Cristo. Ele disse: “Ele é a luz e a vida do mundo; sim, uma luz sem fim, que nunca poderá ser obscurecida ( . . . )”. (Mosias 16:9) Quão oportuno foi o surgimento de miraculosas luzes no Hemisfério Ocidental após o nascimento do Salvador em Belém! Na ocasião de
Seu nascimento, “ao pôr-do-sol, não houve escuridão; e o povo começou a admirar-se, ( . . . ) não houve escuridão toda aquela noite”. (3 Néfi 1:15, 19) Esse espetáculo de luzes representou um verdadeiro contraste em relação à Sua crucificação, quando “houve trevas espessas sobre toda a face da terra, de modo que todos os habitantes ( . . . ) podiam sentir o vapor da escuridão”. (3 Néfi 8:20–23) Há no mundo todos os tipos de trevas; as trevas decorrentes do pecado; as trevas originadas do desânimo, tristeza e desespero; as trevas advindas da solidão e do sentimento de rejeição. Assim como a luz que brilhava no coração de Josh Dennis era mais forte do que a sufocante escuridão que o envolvia, a luz de Jesus Cristo é mais forte do que qualquer escuridão que enfrentamos na vida, se tivermos fé Nele, formos à Sua procura e O obedecermos.
Pois, como revelou o Profeta Joseph Smith, “se vossos olhos estiverem fitos em minha glória, todo o vosso corpo se encherá de luz e em vós não haverá trevas”. (D&C 88:67)
A luz de Cristo e a mensagem do evangelho de luz e salvação podem apagar-se em nossa vida somente por meio de nossa desobediência e falta de fé. Por outro lado, a luz do Salvador aumenta em nossa vida à medida que guardamos os mandamentos e nos esforçamos continuamente para sermos como Ele. Pois, “Aquilo que é de Deus é luz; e aquele que recebe luz e persevera em Deus recebe mais luz; e essa luz se torna mais e mais brilhante”. (D&C 50:24).
Cristo e de Seu evangelho se torna mais intensa em nosso semblante e coração, fica mais fácil discernirmos as coisas realmente preciosas das falsificações que o mundo oferece. O
conhecimento de que Cristo nos amou o suficiente para tomar voluntariamente sobre Si os nossos pecados elimina a necessidade de confiarmos apenas em nós mesmos ou na força e nas habilidades de um outro mortal. A crença de que o Sacrifício Expiatório nos restitui tudo o que perdemos em conseqüência dos pecados e erros que cometemos durante a nossa vida traz-nos mais esperança do que qualquer prazer temporal ou satisfação momentânea.
Pensem a respeito da experiência do rei Lamôni. Apesar de possuir imenso poder, grandes riquezas e empregados para servi-lo, ele vivia em trevas espirituais. Quando permitiu a Amon que lhe ensinasse o evangelho, algo notável aconteceu; Lamôni “caiu por terra como se estivesse morto”. (Alma 18:42) “Amon ( . . . ) sabia que o rei Lamôni estava
sob o poder de Deus; sabia que o escuro véu da incredulidade lhe estava sendo tirado da mente e que a luz que lhe iluminava a mente ( . . . ) era a luz da glória de Deus ( . . . ) sim, essa luz havia-lhe infundido tanta alegria na alma.” (Alma 19:6) Somente a glória de Deus e a luz da vida eterna proporcionam alegria suficiente para preencher-nos completamente
e eliminar o “escuro véu da incredulidade”. Em todas as escrituras e, de fato, nos escritos deixados ao longo dos séculos por cuidadosos cristãos, encontramos exemplos de como a
mensagem de luz e salvação de Cristo pode dar-nos força física e espiritual. Enquanto viajava pela Itália em 1883, um jovem sacerdote inglês chamado John Henry Newman deparou-se com a escuridão emocional e física quando uma doença lá o deteve durante várias semanas. Ele ficou terrivelmente desanimado, e uma enfermeira que o viu chorar perguntou o que o afligia. Tudo o que conseguiu expressar foi a certeza de que Deus tinha um trabalho para ele realizar na Inglaterra. Ansioso para voltar para casa, conseguiu finalmente um lugar a bordo de uma pequena embarcação. Pouco tempo após o navio ter deixado o porto, um espesso nevoeiro baixou e não permitia que os perigosos penhascos que os cercavam fossem vistos. Estagnados durante uma semana em meio à névoa, uma escuridão cinzenta, o navio não podia prosseguir viagem tampouco voltar ao porto. Newman suplicava a ajuda do Salvador enquanto escrevia as palavras que hoje conhecemos como o hino: “Brilha, Meiga Luz”.

Na escuridão, oh, brilha meiga luz!
Na negra noite brilha e me conduz.
Não peço luz a fim de longe ver
Somente luz em cada passo ter.
Hinos nº 60

Esse hino traz um ensinamento que sabemos em nosso íntimo ser verdadeiro: apesar de os desafios poderem extinguir outras fontes de luz, Cristo iluminará o nosso caminho para que possamos “luz em cada passo ter” e nos indicará a direção de volta para casa. Pois, como prometeu o Salvador: “( . . . ) quem me segue não andará em trevas”. (João 8:12).
Todos nós podemos encontrarnos de vez em quando em lugares de escuridão. Podemos vagar rumo às escuras cavernas espirituais ao fazermos escolhas erradas, admitirmos
más influências em nossa vida e nos distanciarmos da luz do evangelho para conhecermos um pouco mais das coisas do mundo. Isso pode parecer inofensivo a princípio — um pouco audaz apenas. Porém, antes que nos demos conta, teremos-nos distanciado da luz e estaremossozinhos na escuridão. Por que permanecermos na escuridão se a luz de Cristo está esperando para nos resgatar? Desfrutemos da luz cálida e brilhante proporcionada pelo evangelho de Jesus Cristo. Deixemos que a Meiga Luz do Salvador ilumine cada um de nossos passos e que os convênios e mandamentos nos mantenham em segurança à medida que percorremos o caminho do evangelho de
volta ao nosso lar celestial. Lembrem-se do pequeno Josh Dennis. Hoje, ele está servindo como missionário longe da escuridão da mina em que ficou preso. Hoje, o élder Dennis anda pelos estreitos e desconhecidos caminhos de Honduras, compartilhando uma mensagem de esperança, salvação e luz. Ele ensina diariamente a respeito do paradoxo que vivenciou perdido em uma mina quando ainda era menino: apesar da escuridão à nossa volta, apesar das mais tenebrosas circunstâncias por que podemos passar, é possível sentir esperança, paz e consolo — graças à luz que é mais forte do que toda
e qualquer escuridão, a luz de Jesus Cristo.
Sei por meio de minhas próprias experiências, com tanta certeza quanto Josh sabe por meio das suas, a respeito da existência desse maravilhoso ser de luz — nosso Salvador.
Aceitemos Sua luz e vivamos de modo que ela continue a iluminar o nosso caminho e a guiar-nos de volta ao nosso lar celestial. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Corações que se Assemelham

Barbara B. Smith
Presidente Geral da Sociedade de Socorro
A Liahona de Julho de 1982


"Podemos ser mulheres eleitas, dignas e santas. Mesmo havendo muitas diferenças entre nós somos mulheres de Deus."


Em um fim de semana de novembro passado, Heidi, uma jovem mãe SUD aqui em Lago Salgado, deixou seu lar numa manha acinzentada e dirigiu-se ao Pioneer State Park, Lá chegando, entrou na casa, restaurada, de Mary Fielding Smith, viúva de Hyrum Smith.
Heidi usava um vestido à moda pioneira, certamente parecido com os que Mary vestira e durante o dia inteiro recepcionou as crianças de uma escola próxima, ensinou-lhes como preservar e secar maças, depois que as crianças partiram, o sol apareceu por entre as nuvens, iluminando não somente o céu vespertino, mas também fazendo Heidi refletir sobre os acontecimentos do dia. Naquela noite, escreveu em seu diário: “Fui completamente dominada pela excepcional beleza que podia ver naquela casinha de barro na montanha... Foi difícil controlar meus sentimentos, quando a luz brilhou através do vidro tortuoso da janela chegando ate a minha alma, trazendo-me uma sensação ao mesmo tempo cálida e radiante!”
Ela falou-nos sobre o contraste entre aquela casa escassamente mobiliada e seu próprio lar, adorável, em outra montanha não muito longe dali. Escreveu: “espero que meu lar seja um local de força, fé e refugio para minha familia, um lugar onde a verdade seja confirmada e o testemunho fortalecido, tal como o foi o doce lar de Mary para os seus, tanto tempo atrás.” E continua: “Apesar de nosso modo de viver ser tão diferente, impressionou-me a semelhança dos corações. Minha alma deseja fazer com que essas semelhanças sejam importantes para minha familia como o foram para a dela.”
As circunstancias que envolveram a vida de Mary Fielding Smith foram muito diferentes das de Heidi.
Na época conturbada do êxodo dos santos e Nauvoo, a Irma Smith era viúva, com a responsabilidade de criar filhos ainda pequenos. Permanecer em Nauvoo a colocaria em posição de constante conflito com os dissidentes e o populacho. Ir poderia significar deixar sua casa por vender e, sozinha, assumir os sofrimentos e desafios desconhecida de uma longa e cansativa viagem de carroça conduzida por junta de bois.
Ficar significaria desistir da associação com os santos e com o evangelho que amava. Isto era simplesmente impossível.
Desejava que seus filhos crescessem fortes no novo e sempiterno convenio.
Os vínculos do evangelho que induziram Mary F. Smith a suportar grandes aflições e viajar para o Oeste com os santos ultrapassam tempo e dificuldades e unem as irmãs de hoje com as de outrora em uma verdadeira unidade de Fé.
Recebemos noticias de uma Irma na America do Sul, que, desafiada pelos missionários a batizar-se, replicou: “Vocês não me querem. Eu não sou ninguém.” Os rapazes persistiram, porem, ela acabou aceitando o evangelho e isto trouxe amor e esperança a sua vida; trouxe aprendizado, crescimento e progresso. Depois de pouco tempo, ela foi chamada como Presidente da Sociedade de Socorro e, através de sua devoção, deu deste mesmo amor e esperança a outros.
Ioshiko, uma de nossas queridas irmãs do Japão escreveu:
“No fundo de meu ser eu tinha um sentimento, uma esperança que havia em algum lugar uma igreja verdadeira que testificasse da ressurreição de Jesus Cristo... o Senhor me respondeu... os missionários me visitaram e eu soube da existência de O Livro de Mórmon...
Nestes ensinamentos encontrei a verdade que procurava... Meu coração tem afinidade com o evangelho, assim como as areias do deserto com a água.”
Da África, onde em 1978 foi fundada a primeira Sociedade de Socorro, composta, só de mulheres negras, veio esta mensagem:
“Aprendi a encarar a vida de uma forma diferente. Como uma mãe jovem, aprendi a educar meus filhos no cristianismo e a fazer de meu lar um local agradável, onde todos crêem no evangelho e o vivem.
Muitos exemplos nos vêm de mulheres de vários lugares e das mais diversas condições de vida – sozinhas, com crianças, idosas, jovens, membros novos, aflitas, desesperadas, felizes.
Elas formam um mosaico de muitas vidas diferentes, talentos individuais e dons surpreendentemente variados. Os pormenores são tão numerosos, que começamos a reconhecer neles a grande diversidade existente entre nos e a grande força e enriquecimento decorrentes disso.
De todas essas experiências, surge uma verdade unificadora que afirma: “sei que Deus vive e me ama. Seus ensinamentos me fortalecem e sustem minha alma.”
Este testemunho nos dá um coração tão semelhante, que Paulo chega a dizer:
“Assim nós que somos muitos somos um... em Cristo.” ( Romanos 12:5)
Sendo muitas... com dons diferentes, temos, contudo, corações tão parecidos, que testificam do Senhor Jesus Cristo...que seus ensinamentos são verdadeiros...que seu estilo de vida é de verdade, amor e luz.
Um exame da vida individual daqueles que seriam seus discípulos testifica que nada no evangelho se destina a causar conflito entre “razão” e verdade, como observou Elisa R. Snow.
O evangelho corretamente compreendido, abrange tudo que é virtuoso, amável e louvável (ver 13 regra de fé).
É mandado dos céus por Deus é a luz pela qual encontramos o caminho na escuridão e em tempos difíceis. A luz da verdade revela nossa natureza eterna. Se trabalharmos diligentemente e bastante, orarmos com fervor, a excelência, que é nosso potencial divino, estará ao alcance de cada uma de nos.
A singularidade de cada ser humano é própria da criação de Deus, mesmo que algumas vezes nos surpreendamos com as diferenças. Uma irmãzinha do Oriente veio aos EUA e pela primeira vez na vida, viu pessoas louras e de olhos azuis. Aqueles olhos claros eram tão raros para ela, como mais tarde revelou, que embora hoje os ache lindos, a principio duvidava de que as pessoas pudessem enxergar com eles.
Cor, cultura, talentos, gostos; as diversidades são muitas e deles provem muito da abundancia e beleza que temos na vida. A Irma oriental pareceu estranha a cor dos olhos; mas para todas nos há diferenças que podemos aprender e apreciar melhor. Aprendendo a valorizar essa diversidade nos outros, vemos e apreciamos mais claramente nossa própria singularidade.
Ao respeitas não somente as diferenças de nossos irmãos, mas também suas realizações, começamos a experimentar a felicidade que o Senhor pretende que sintamos. Há muito mais alegria quando nos regozijamos com o sucesso alheio e não apenas com o nosso.
Ficar feliz com a realização de irmãos, irmãs e amigos requer confiança em sim mesma e reconhecimento do próprio potencial. O evangelho coloca essa convicção ao alcance de qualquer pessoa. Quando estamos cheios de amor ao Senhor, com todo nosso coração, alma e mente, o resultado é podermos sentir, compreender e estar seguras de seu amor. Guardaremos seus mandamentos. Amaremos nosso próximo como a nos mesmas. Ele planejou que assim fosse conosco: estarmos unidas em amor e fé com corações semelhantes.
Como podemos tornar-nos unas em coração?
1) Reconhecendo que somos filhas de Deus
2) Sabendo e testificando que ele vive e que sua grande missão é possibilitar-nos não apenas a salvação mas também exaltação.
3) Trabalhando diligentemente – passo a passo – em nosso aperfeiçoamento
4) Orando freqüentemente por orientação pessoal e um coração amoroso, compreensivo e atento as necessidades do próximo
5) Procurando auxilio divino para viver os ensinamentos do evangelho e não julgar. Não podemos andar na trilha que pertence a outro. Não sabemos quais são os seus desafios, portanto, não podemos julgá-los
6) Vivendo com otimismo e dando tudo o que temos a obra do senhor. Compartilhar a verdade do evangelho com outras pessoas é um dos maiores dons que podemos dar
7) Obtendo conhecimento e capacidade de nos engajar ativamente nas boas coisas que farão do mundo um lugar melhor por termos vivido nele
8) Pagando o preço da excelência em tudo o que empreendermos.
9) Aceitando com disposição o conceito de altruísmo – e transformando-o em ação.
Estas são as coisas que aproximarão nossos corações à medida que assumimos a responsabilidade por nossa própria vida, sejam quais forem às circunstâncias.
Esses princípios podem ser aceitos e vividos por todas – pobres e ricas, solteiras e casadas, adolescentes e avos.
Não há exceções ou especificações de aparência física, estado civil, oportunidades ou responsabilidades.
Não há limitações arbitrarias.
O Senhor realmente se preocupa com o amor em nosso coração e em nossa alma; com a diligencia com que buscamos sabedoria. Deseja que amemos e nos importemos como ele se importa. Quer que sejamos retas como ele é. Pretende que desenvolvamos em nos os atributos divinos.
Podemos ser mulheres eleitas, bondosas e santas. E mesmo havendo muitas diferenças entre nós, somos mulheres de Deus, unidas em uma irmandade de fé e testemunho. Assim com Heide, podemos orar por força, fé e capacidade de transformar nosso lar em refugio onde a luz dos céus, como os raios dourados daquele dia cinzento de novembro, iluminara nossa vida, não importa onde estejamos. Assim nós, que somos muitas, sejamos uma em cristo com corações semelhantes, é minha oração em nome de Jesus Cristo, nosso exemplo e redentor, Amém

domingo, 1 de março de 2009

APFD - Compotas

Aprimoramento do dia 21/02/2009 as 16horas na capela dos Ingleses.

"Um viver previdente significa:“Fazer reservas para o futuro enquanto são satisfeitas as necessidades do presente.”








Descrição da atividade
A irmã Iraci prestou seu testemunho a respeito do APFD, do amor que tinha pelas coisas que são ensinadas nesta atividade. Em seguida nos ensinou todos os passos para o armazenamento de alimentos em compota, verduras, legumes e doces. Aprendemos a esterilizar os potes, cortas o alimento, tempo de cozimento, lacrar e o tempo que dura cada coisa. As compotas já prontas foram mostradas na reunião dominical da Soc. Socorro.

Objetivo da atividade
Fazer com que as Irmãs sintam o desejo de fazer o armazenamento em suas casas, aprender a tornar-se auto-suficiente e podendo ate mesmo usar o aprendizado como fonte de renda extra.

Propósito Espiritual
Tornar a comida imortal (Saul Messias). Ajudar as irmãs a entenderem que um conselho do senhor não deve ser posto de lado. Como diz o Presidente Kimball: Um viver sábio e previdente é o que edifica o caráter e aumenta o nosso bem-estar material, social, emocional e espiritual. (Spencer W. Kimball)

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Ensinando, Pregando, Curando - Elder Jeffrey R. Holland


Nós rápida e legitimamente pensamos em Cristo como um professor—o maior mestre que já viveu ou ainda viverá. O Novo Testamento está repleto de Seus ensinamentos, pronunciamentos, parábolas e sermões.
De uma forma ou de outra, Ele ensina em cada página desse livro. No entanto, mesmo ao ensinar, Ele conscientemente fazia algo além disso, algo que dava perspectiva ao Seu ensino.
Depois do chamado inicial àqueles primeiros discípulos (que ainda não eram apóstolos), a obra iniciou-se. É isto que Mateus escreveu: “E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo”. (Mateus 4:23; grifo do autor) Eis o ensino e a pregação que conhecemos e esperaríamos encontrar. Mas, pode ser que não estejamos bem preparados para encarar a cura do mesmo modo. Contudo, lembro-me da primeira vez que me dei conta de que desde este início, desde o primeiro momento, a cura é mencionada como sinônimo de ensino e pregação. Pelo menos, há um relacionamento claro entre os três. De fato, a passagem que se segue se detém mais na cura do que no ensino ou na pregação. Mateus prossegue: “E a sua fama correu por toda a Síria, e traziam-lhe todos os que padeciam, acometidos de várias enfermidades e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos, e os paralíticos, e ele os curava.” (V. 24) Em seguida, veio o magistral Sermão da Montanha, seis páginas e meia que, a meu ver, precisariam de seis mil anos e meio para serem ensinadas adequadamente. Porém, assim que termina o sermão, Ele desce do monte e começa a curar novamente. Numa rápida sucessão de eventos, Ele cura um leproso, o criado de um centurião, a sogra de Pedro e depois um grupo descrito apenas como “muitos endemoninhados”. (Mateus 8:16) Em suma, diz: Ele “curou todos os que estavam enfermos”. (V. 16) Impelido a atravessar o Mar da Galiléia pelas multidões que agora o cercam, Ele expulsa os demônios de dois homens que estavam nos sepulcros gadarenos e depois volta para a “sua cidade” (Mateus 9:1), onde cura um paralítico confinado ao leito, uma mulher que tinha um fluxo de sangue havia doze anos (um dos momentos que considero mais comoventes e tocantes do Novo Testamento) e depois, levanta dos mortos uma menina.
Em seguida, Ele restaurou a visão de dois cegos e expulsou o demônio que impedia um homem de falar. Esse é um breve resumo dos primeiros seis capítulos do Novo Testamento dedicados ao ministério de Cristo. Agora, vejamos o seguinte versículo e seu significado para nós: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo.” (Mateus 9:35; grifo do autor) Trata-se, com exceção de poucas palavras, do mesmo versículo que lemos cinco capítulos antes. E então, isto: “E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros.
Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara.” (V. 36–38)
Com isso, Ele chama os Doze e ordena que busquem as “ovelhas perdidas da casa de Israel. E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscita os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai”. (Mateus 10:6–8, grifo do autor) Sabemos que o Salvador é o Mestre dos mestres.
Ele é isso e muito mais. E quando diz que a ceifa mal começou e que há poucos trabalhadores, imediatamente pensamos nos missionários e outras pessoas que, como vocês, precisam ensinar. Mas o chamado é para um tipo especial de professor, o professor que, ao ensinar, cura.
Agora, permitam-me falar com bastante clareza. Ao falar de “cura”, no contexto em que estou falando, não estou referindo-me ao uso formal do sacerdócio, à ministração aos enfermos ou qualquer coisa do gênero. Não é esse o papel dos professores em nossas organizações da Igreja.
Mas, creio que ao ensinarmos, proporcionamos cura de natureza espiritual. Não posso crer que mesmo tendo sido escrito por Mateus, estariam tão centrados no ministério do Salvador junto aos desalentados, aflitos e perturbados se não houvesse motivo. Como no caso do Mestre, não seria maravilhoso medir o sucesso de nosso ensino pela cura desencadeada na vida de outros? Serei um pouco mais específico. Ao ensinar, em vez de simplesmente darem aula, por favor, façam um esforço maior para ajudar aquele astro dos esportes que está espiritualmente cego a realmente enxergar, ou aquela jovem atraente que está espiritualmente surda a ouvir de verdade, ou o líder estudantil que está espiritualmente coxo a realmente andar. Poderíamos tentar empenhar-nos ao máximo para fortalecer outros de modo tão intenso que, sejam quais forem as tentações dos demônios do inferno que os envolverem, eles consigam resistir e assim, naquele momento, se livrar do mal. Poderíamos tentar com um pouco mais de diligência ensinar com tanta eficácia e espiritualidade que realmente ajudemos aquela pessoa que anda sozinha, que mora sozinha, que chora no escuro da noite?

“E Agora, O Que Fazer?”
Talvez uma lição da vida no Quórum dos Doze me ajude a dizer o que pretendo sobre esse assunto e a evitar que vocês se confundam. O Presidente Boyd K. Packer, Presidente Interino do Quórum dos Doze Apóstolos, ele mesmo um professor de mão cheia, sempre lança uma pergunta quando fazemos uma apresentação ou exortação mútua nos Doze. Ele olha para cima como que dizendo: “Terminou?” e então indaga ao interlocutor (e, por extensão, ao restante do grupo): “E agora, o que fazer?”
“E agora, o que fazer?” Acho que é isso que o Salvador respondia diariamente como um elemento inseparável de Seu ensino e pregação. Seus sermões e exortações seriam em vão se não provocassem mudanças na vida dos Seus discípulos. “E agora, o que fazer?” Todos sabemos que há muitas pessoas que ainda não conseguiram fazer a associação entre o que afirmam acreditar e a maneira como vivem.
Orem para que seu ensino suscite mudanças. Orem para que, como dizia uma música hoje quase esquecida, suas aulas façam com que alguém literalmente “modifique seu modo de ser e aprenda a voar” (Nat King Cole, “Straighten Up and Fly Right” [1943]) Queremos que eles vivam em retidão e alcem vôos dignos. Desejamos que sejam felizes, abençoados nesta vida e salvos no mundo vindouro.

Deus Está no Comando
O nome completo do livro de Atos, que introduz o período posterior à Ressurreição do Novo Testamento, é “Atos dos Apóstolos”. Essa é uma importante idéia eclesiástica do livro, a saber, que os apóstolos foram ordenados representantes do Senhor Jesus Cristo e assim autorizados a continuar a dirigir a Igreja em Seu nome. Mas reflitamos um pouco sobre o que eles tiveram que enfrentar. Pensemos na situação difícil, o medo, a confusão, a desolação que enfrentavam os membros da nova e pequena Igreja Cristã logo após a crucificação de Cristo.
Eles deviam compreender um pouco do que estava acontecendo, mas não tinham um entendimento pleno. Devem ter ficado temerosos e confusos e os dirigentes estavam ocupados na liderança. Não é de estranhar que, desde o início (pelo menos a partir do primeiro versículo do Livro de Atos), que a Igreja continuaria a ser divinamente guiada, não guiada pelos homens. E foi importante para o povo ouvir isso naquela hora de terrível incerteza e inquietação. De fato, um título mais completo e adequado para o livro de Atos seria algo como: “Os Atos do Cristo Ressurreto Realizados por meio do Espírito Santo na Vida e Ministério de Seus Apóstolos Ordenados”. Agora, depois de ouvirem isso, percebem por que se optou pelo nome mais curto— mas o título que sugeri certamente é mais preciso! Ouçam as primeiras linhas de Lucas: “Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar, Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera.” (Atos 1:1–2; grifo do autor) O governo da Igreja não mudara. O Salvador estava em outra esfera, mas a direção e liderança da Igreja era exatamente a mesma. Então, depois de entrarmos nesse assunto, recebemos continuamente manifestações do poder do Senhor por meio do Espírito Santo. O primeiro ensinamento no livro de Atos do Cristo Ressurreto aos Doze no livro de Atos é de que eles “[seriam] batizados com o Espírito Santo , não muito depois destes dias” (Atos 1:5) e que “[receberiam] a virtude do Espírito Santo, que [haveria] de vir sobre [eles]”. (V. 8) Depois que Cristo ascendeu aos céus diante da multidão, Pedro congregou todos os membros restantes da Igreja—todos os 120 deles. (Vocês têm idéia do impacto que as aflições e a oposição tiveram sobre seus números?) Cento e vinte pessoas reuniram-se e Pedro disse: “Homens irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, acerca de Judas”. (V. 16; grifo do autor) Para preencher a vaga de Judas nos Doze, eles oraram exatamente da mesma forma que o Quórum dos Doze e a Primeira Presidência oram hoje: “Tu, Senhor, conhecedor dos corações de todos”, (V. 24; grifo do autor). “Mostra qual destes (. . .) tens escolhido.” E Matias foi o escolhido. Mas esse primeiro capítulo, que coloca todos em direção ao céu, e com tanta clareza assinala a orientação divina que continuaria a dirigir a Igreja é apenas uma preparação para o capítulo 2. Nessas passagens, o próprio nome Pentecostes entra no vocabulário cristão como sinônimo de manifestações espirituais singulares e do derramamento divino do Espírito Santo sobre todas as pessoas.
A revelação veio do céu com o som “como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados” (Atos 2:2) e penetrou-lhes também a alma. “E foram vistas por eles línguas repartidas, como
que de fogo. (. . .) E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar (. . .) conforme o Espírito Santo lhes
concedia que falassem.” (V. 3–4)
Pedro, como Apóstolo dirigente e Presidente da Igreja, pôs-se de pé e reconheceu esse derramamento do Espírito. Citou Joel, dizendo que Deus nos últimos dias “do [Seu] Espírito [derramaria] sobre toda a carne: e os vossos filhos e as vossas filhas [profetizariam], os vossos jovens [teriam] visões, e os vossos velhos [teriam] sonhos: E também do [Seu] Espírito [derramaria] sobre os [Seus] servos e as [Suas] servas naqueles dias, e [profetizariam]”. (V.17–18; grifo do autor)
Pedro continua: “Homens israelitas [dirigindo-se a uma congregação maior], escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós. (. . .) Deus ressuscitou a este Jesus (. . .) exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis”. (V. 22, 32–33; grifo do autor) É uma passagem extraordinária. Os que ainda não haviam sido batizados foram tocados pelo Espírito e perguntaram o que deveriam fazer. Pedro respondeu-lhes que deveriam ser batizados para a remissão dos pecados e “[receber] o dom do Espírito Santo” (v. 38),
e 3.000 assim procederam. Em seguida, o coxo é curado e volta a andar diante do templo e a multidão acha que Pedro e João fizeram algo prodigioso. Pedro censura-os e repreende-os, dizendo que não foi o poder mortal ou santidade dos discípulos que fizeram o homem andar, mas sim de Jesus, a quem essas pessoas de Jerusalém haviam traído e matado. (Atos 3:13, 15) Ele disse que esse mesmo Jesus ainda estava dirigindo a Igreja por meio do Espírito Santo e continuaria a fazê-lo até voltar nos “tempos da restauração de tudo”. (V.21)
Quando nessa ocasião, mais 5.000 pessoas se uniram à Igreja, os fariseus e saduceus ficaram perplexos. Eles queriam saber como tudo isso era possível. Pedro concedeu a resposta clássica que vocês devem dar aos outros: “Cheio do Espírito Santo”, lemos, ele declarou que tudo era feito por e “em nome de Jesus Cristo, o Nazareno”. (Atos 4:8,10, grifo do autor) Cristo não estava apenas guiando os atos de Seus Apóstolos por meio da instrumentalidade do Espírito Santo — Ele estava também falando por meio deles pelo mesmo Espírito. Esta é uma lição sobre o governo da Igreja de Jesus Cristo, tanto antiga como moderna.
O Pai e o Filho dirigem ainda hoje esta obra, exercendo grande influência sobre os líderes da Igreja, os professores e as pessoas por intermédio do Espírito Santo. E é por meio dessa mesma instrumentalidade que devemos ter um impacto na vida daqueles a quem ensinamos.

Ensinar pelo Espírito
Rogo que ensinem pelo Espírito Santo. Se não ensinarmos dessa forma, então por definição escriturística estaremos ensinando “de alguma outra forma”. (D&C 50:17) E qualquer outra forma “não é de Deus”. (V. 20) Proporcionem aos alunos a oportunidade de uma experiência espiritual de todas as maneiras que puderem. É isso que o Novo Testamento está tentando fazer por vocês. Essa é a mensagem dos evangelhos. É a mensagem do livro de Atos. É a mensagem de todas as escrituras. Essas experiências espirituais dos registros sagrados vão ajudá-los a manter outros no caminho certo e na Igreja em nossos dias, assim como ocorreu na época do Novo Testamento.
Dizem as escrituras: “E o Espírito ser-vos-á dado pela oração da fé; e se não receberdes o Espírito, não ensinareis”.
(D&C 42:14) Não se trata apenas de não querer ensinar, não ensinar direito ou ensinar mal. Não, é mais forte do que isso. Observem o tempo verbal: “Não ensinareis”. Colocando “tu” em lugar de “vós”, teremos a linguagem típica dos Dez Mandamentos. Afinal, trata-se de um mandamento. Esses alunos são de Deus, não de vocês, assim como a Igreja era de Deus, não de Pedro ou Paulo, de Joseph ou de Brigham.
Tenham bom ânimo. Deixem o Espírito agir por seu intermédio, fazendo coisas que vocês talvez não tenham o privilégio de ver ou mesmo reconhecer. Acontecerão mais coisas do que vocês imaginam caso sejam honestos de coração e estejam esforçando-se para viver da forma mais pura possível. Quando vocês chegarem àqueles momentos sublimes e quase impossíveis — ensinar sobre o que aconteceu no Getsêmani, no Calvário e na Ascensão — peço que recordem, entre tantas coisas, as seguintes duas maiores aplicações que poderiam fazer.

Cristo Permaneceu Fiel
Primeira: Em Sua indescritível e cruciante agonia e dilacerante dor, Cristo permaneceu fiel.Mateus disse que Ele “começou a entristecer-se e a angustiar-se (. . .) até a morte”. (Mateus 26:37–38) Ele voltou sozinho ao jardim e deixou intencionalmente os apóstolos esperando do lado de fora. Ele precisava fazer aquilo sozinho. Ele ajoelhou-Se e depois, conforme narra o apóstolo, “prostrou-se sobre o seu rosto”. (V. 39) Lucas diz que Ele estava “em agonia” e orava com tal intensidade que Seu suor Se tornou “em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão”. (Lucas 22:44) Marcos disse que Ele Se curvou e exclamou: “Aba, Pai”, o que corresponderia ao nosso “Papai” ou “Paizinho”. Não estamos falando de teologia abstrata. Aqui vemos um Filho implorando ao Seu Pai: “Aba [Papai, Paizinho] (. . .) todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice”. (Marcos 14:36) Quem resistiria a isso? Vocês, de qualquer filho, especialmente o Filho perfeito? “Tu podes fazer qualquer coisa Sei que podes fazer qualquer coisa. Por favor, afasta de mim este cálice”. Toda aquela oração, observou Marcos, pedia que, caso possível, aquele momento fosse suprimido do plano. É como se Ele tivesse dito: “Se houver outro plano, preferiria segui-lo. Se houver qualquer outro caminho — qualquer outro — alegremente o trilharei”. “Passa de mim este cálice”, escreve Mateus. (Mateus 26:39) “Passa de mim este cálice”, repete Lucas. (Lucas 22:42) Mas no fim, o cálice não passou.
No fim, Ele submeteu-Se à vontade de Seu Pai e declarou: “Não se faça a minha vontade, mas a tua”. (V. 42) Estas são, para todos os efeitos, as últimas palavras trocadas entre o Pai e o Filho no ministério mortal de Jesus. A sorte estava lançada. Ele passaria por tudo que Lhe sobreviesse.
Após última declaração no Velho Mundo passemos à primeira no Novo. Aos nefitas reunidos no templo, Ele anunciou: “Eis que eu sou Jesus Cristo”, (. . .) a luz e a vida do mundo; e bebi da taça amarga que o Pai me deu e (. . .) me submeti à vontade do Pai em todas as coisas desde o princípio”. (3 Néfi 11:10–11). É assim que Ele Se apresentou, fazendo a declaração que Ele sentiu que melhor O descreveria.
Se vocês conseguirem que seus alunos assumam um único compromisso motivado pelo incomparável sacrifício do Salvador por eles, o preço que Ele pagou pelas transgressões deles e o sofrimento que padeceu pelos pecados deles, deixem que percebam a necessidade de obedecer e também, em seus próprios momentos difíceis e horas de decisão, a “[se submeterem] à vontade do Pai” (V. 11) a qualquer custo. Eles nem sempre o farão, assim como nós nem sempre conseguimos, mas essa deve ser a meta, o objetivo. O principal aspecto que Cristo parece desejar ressaltar em Sua missão — mais do que as virtudes pessoais, e além dos magníficos sermões e até as curas — é que Ele sujeitou Sua vontade à do Pai.
Somos todos pessoas voluntariosas, talvez até demais. Portanto, a mensagem que o Salvador tem para cada um de nós é que nossa oferta, em semelhança à oferta Dele, é um coração quebrantado e um espírito contrito.(Ver 3 Néfi 9:20; D&C 59:8.) Precisamos abandonar nosso pequeno mundo e chorar por nossos pecados e pelos de todas as pessoas. Precisamos rogar aos outros que se submetam ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Não há nenhum outro caminho. Mesmo sem querer comparar-nos muito com Ele, o que seria um sacrilégio, saibam que o cálice que não pode passar é como uma taça que também recebemos em nossa vida assim como na Dele. Ainda que em grau muito menor, ela advém-nos por pelo menos um motivo: com a freqüência necessária para ensinar-nos que temos de obedecer a qualquer custo.

Cristo Conhece o Caminho
A segunda lição da Expiação que eu pediria que vocês lembrassem está relacionada à primeira. Se aqueles a quem você ensina por alguma razão acharem que já cometeram erros
demais, que vivem e empenham-se menos do que a luz de Cristo merece, ensinem-nos que Deus está “predisposto a perdoar”, que Cristo é “misericordioso e clemente, lento para irar- Se, longânime e cheio de bondade”. (Lectures on Faith [1985], p. 42) A misericórdia, com suas virtudes irmãs que são o arrependimento e o perdão, constitui a essência da Expiação de Jesus Cristo. Tudo no evangelho nos ensina que podemos mudar se realmente o desejarmos, que podemos ser ajudados se verdadeiramente pedirmos, que podemos ser curados, quaisquer que tenham sido os problemas no passado. A despeito das tribulações da vida há ajuda para todos nós ao longo desta jornada. Quando Cristo lhes pede que se submetam e obedeçam ao Pai, Ele sabe como os auxiliar a fazer isso. Ele já trilhou essa senda e implora que procedamos da mesma forma que Ele. Mas muito mais transitável para que eles e nós o percorramos. Ele sabe onde estão as rochas mais duras, e as pedras de tropeço e onde os espinhos e cardos são mais pontiagudos. Sabe quais trechos são perigosos e qual direção seguir quando a estrada se bifurca ou a noite chega. Ele tem conhecimento disso porque sofreu “dores e aflições e tentações de toda espécie (. . .) para que [soubesse] (. . .) como socorrer seu povo, de acordo com suas enfermidades”.
(Alma 7:11–12). Socorrer, nesse caso, significa “vir ao encontro”. Testifique que Cristo virá ao encontro deles e já o está fazendo, basta que recebam o braço estendido de Sua misericórdia. Quando cambaleamos ou tropeçamos, Ele está sempre perto para conceder força e equilíbrio. No final, estará a nossa espera para salvar-nos, pois por tudo isso deu Sua vida. Por mais sombrios que se mostrem nossos dias o Salvador do mundo enfrentou trevas muito maiores. Para fazer-nos recordar aqueles momentos, Jesus optou, mesmo em Seu corpo ressurreto e perfeito, por conservar, para o bem de Seus discípulos, as marcas dos cravos nas mãos, nos pés e no lado. Assim, mostra que as aflições atingem até Quem é puro e perfeito, que as dores deste mundo não são indícios de que Deus não nos ama e que as chagas um dia desaparecerão
e poderemos ser felizes. Lembre aos outros que é o Cristo ferido que é o Capitão de nossa alma, Ele que ainda leva as cicatrizes de nosso perdão, as lesões de Seu amor e humildade, a carne dilacerada da obediência e do sacrifício. Essas marcas serão nossa principal maneira de reconhecê- Lo quando Ele voltar. Pode ser que Ele nos convide, como já fez com outras pessoas, para que nos aproximemos Dele, O vejamos e toquemos essas chagas. Caso não o faça antes, certamente nessa ocasião relembrará a todos que, como escreveu Isaías, foi por nós que um Deus foi “desprezado [e rejeitado] (. . .); homem de dores, e experimentado nos trabalhos”, que Ele “foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. (Isaías 53:3, 5)
Amo este trabalho. Sinto carinho pela oportunidade que vocês têm de mergulhar neste ano no grandioso Novo Testamento e na vida de Cristo, de Quem essas escrituras testificam. Esta é Sua Igreja e estamos envolvidos numa obra grandiosa, com o magnífico rivilégio de amar as escrituras, aprender com elas e testificar uns para os outros que são verdadeiras. ■
Adaptado de um discurso proferido em uma conferência
de educadores religiosos do Sistema Educacional da Igreja,
na Universidade Brigham Young, em 8 de agosto de 2000.